22 de out de 2007

Superbad - É Hoje! E é legal!




Posso testar sendo pego pelo entusiasmo, mas a verdade é que Superbad é muito legal. Quando o filme acaba fica uma idéia de “caramba, que filme legal, parecia ser mais do mesmo, mas chega a ser até sentimental!”. Quem via o trailer podia achar que viria por ai mais um American Pie disfarçado com nova roupagem, a verdade é que é Superbad é bem superior. Pra quem gosta das piadas escatológicas e das situações constrangedoras American Pie realmente esta cheia dessas. Superbad meio que deixa a escatologia de lado e se apega mais nas situações. E elas não são tão forçadas. Na verdade são bem naturais. Seth é tão chato, tão boca suja, que é realista, não é caricato. Evan é aquele cara educado, bonzinho até demais, e que no fim das contas foi recompensado.
Já Fogel é aquele cara doidão que com os seus similares banca de “bonzão” mas quando vai fazer o que tem em mente é o manesão.
Azar é palavra pequena para o que essa turma atravessa até o fim do filme. É uma mazela danada até conseguirem o objetivo final! E olhe que explicitamente só um consegue!
Sem ser escroto mais ao mesmo tempo de tiradas afiadas, Superbad vai envolvendo o espectador, principalmente os do sexo masculino, com os objetivos das personagens.
Eles só queriam fazer parte do padrão, ser iguais aos populares, mas o que o filme mostra é o que eles percebem depois, é que eles não precisam ser populares para se dar bem. Tentar se tornar o que não eram só foi piorando tudo.
Algumas cenas merecem destaque. A fuga de McLovin ( dono da frase que já ficou no imaginário “I’m McLovin”) é muito engraçada. Ver dois tiras marmanjos que só querem saber de farrear ensinando um garoto os prazeres da vida e tirando onda de todos ficou parecendo coisa de filme até um certo ponto, mas num determinado momento eles se explicam, e por incrível que pareça tudo faz sentido. E não vou falar mais porque corro o risco de me empolgar e acabar contando as boas tiradas do filme.
Mas o que torna o filme diferente dos demais é seu final. Na verdade, a partir de um pouco mais da metade para o fim o filme foge um pouco do que era de se esperar. E é gratificante. Na verdade é um filme que fala sobre amizade e as aventuras dessa época. Uma fase de mudanças, de muitos aperreios e que deixa a todos muito apreensivos. O plano final do filme mostra bem essas mudanças. Chega uma hora em que tudo muda, mais cedo ou mais tarde.
Dava pra acabar meu comentário sobre o filme com o parágrafo anterior mas não ia ser um comentário honesto se eu não falasse da trilha sonora. Desde o começo ela é de suma importância para o filme. Reparem nos créditos inicias. Um tom retro que permeia todo o filme. Não toca sequer um pop atual, o filme não precisa disso.Não que os pops atuais sejam ruins, mas ai já é apelar para cair no gosto do espectador, associar o que esta na moda a imagem do filme é apelar.
Para mim é um filme que vale o ingresso.

3 comentários:

Mike disse...

Leco...entra no site dos MutunaZ!

As primeiras ediçoes esta lah!

http://cestodegatos.blogspot.com/2007_10_01_archive.html

Mike disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...


Brincadeira...eh esse site,porra!

[link]http://www.mutunaz.com.br/[/link]

Mike disse...

Hyperlink...falhou!